Voltar ao Topo
Rua Manoel Macedo, 234 – São Cristóvão
31. 2555 0222 | 31 9 8686-0222 / 0800 591 2122


5 DURAS VERDADES QUE VOCÊ DEVERIA ACEITAR PARA ENRIQUECER

Postado em: 29/07/2016

(Exame) Ser rico está fora do seu alcance, investir é chato demais e o seu cartão de crédito é uma extensão da sua carteira. Até quando você vai acreditar nessas mentiras?

 

Enquanto não aceitar certas verdades, por mais duras que pareçam, continuará perdendo o sono por causa de dinheiro. Então, encare de uma vez a realidade descrita em cinco pontos abaixo (nada tão assustador assim) e se aproxime dos seus objetivos na vida.

 

 

1. Ninguém se importa mais com o seu dinheiro do que você

 

Até para ganhar na Mega-Sena você precisa ir até a lotérica, comprar o bilhete, escolher os números (ou solicitar que o sistema faça isso por você), torcer muito e acompanhar o resultado. Se não fizer tudo isso, nem adianta reclamar que nunca ganha nada.

 

Para isso, é preciso sair da posição de espectador e treinar, como um jogador olímpico. No início, o processo de organizar as finanças pode ser mais difícil, mas ele se torna mais natural com o tempo.

 

 

2. Só dinheiro não faz ninguém feliz, mas ele traz, sim, felicidade

 

Não é um número na sua conta bancária que vai preencher seu vazio existencial. Inclusive, quem valoriza tempo em vez de dinheiro pode ser mais feliz, segundo uma pesquisa recente realizada pela Universidade da Pensilvânia e pela Universidade da Califórnia, Los Angeles (UCLA).

 

Mas o fato é que, racionalmente falando, você precisa dele para realizar objetivos e sonhos na vida. “Ao acumular patrimônio, você tem mais liberdade, pode trabalhar menos ou trabalhar no que sempre sonhou, porque já acumulou o suficiente”, destaca o educador financeiro Rafael Seabra.

 

 

3. Só tem um jeito de ser rico: ganhar mais do que gasta

 

Para os educadores financeiros, caminhar em direção à riqueza não é ter muito dinheiro, mas seguir um passo bem mais simples: ganhar mais do que se gasta.

 

Para chegar lá, há dois caminhos: aumentar a sua renda ou poupar mais. Para gastar menos, comece montando um orçamento, com tudo o que você ganhou e gastou no último mês.

 

Aplicativos podem ajudar você nessa tarefa. Depois que enxergar tudo com mais clareza, faça uma faxina nos gastos. Um consultor pode salvar sua vida financeira

 

 

4. Cartão de crédito comum não é dinheiro

 

Gastar um dinheiro que você tem é bem diferente de gastar um dinheiro que você não tem, mas acha que terá. Esse é o problema do cartão de crédito. Só dá para usá-lo se você souber tim-tim por tim-tim do quanto virá na fatura, e se você tiver certeza que conseguirá pagá-la.

 

O limite do cartão de crédito não é para ser usado como uma forma de complementar a renda, porque você estará se enganando, gastando um dinheiro emprestado pelo banco, que não é seu.

 

Além disso, o banco cobra diversas taxas para você usar o cartão. Além das taxas de juros e da multa em caso de atraso no pagamento da fatura, há a anuidade e as taxas para saque e pagamento de contas, entre outras.

 

É preciso lembrar que os juros no rotativo do cartão de crédito comum são o principal vilão dos consumidores brasileiros, que estão enfrentando cada vez mais dificuldade para honrar essas dívidas —inclusive por isso a Abecs (associação das empresas de cartões) pretende reformular essa modalidade.

 

 

5. Para ser um idoso feliz e independente, é preciso se preparar

 

Vamos viver mais e melhor, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, uma criança nascida em 2015 pode esperar viver 20 anos mais do que se tivesse nascido há 50 anos, segundo o último Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde.

 

Quanto antes você começar a gerenciar suas finanças para o futuro, melhor, pois além de ter um gasto mais controlado, você poderá ter um rendimento maior.

 








GOSTOU DESTA POSTAGEM ?

COMPARTILHE !